Dicas

UM POUCO DA HISTÓRIA DE TIRADENTES E BICHINHO

A cidade de Tiradentes foi fundada por volta de 1702, quando os paulistas descobriram ouro nas encostas da Serra de São José dando origem a um arraial batizado com o nome de Santo Antônio do Rio das Mortes. O arraial passou a ser conhecido como Arraial Velho, para diferenciá-lo do Arraial Novo do Rio das Mortes, a atual São João Del Rei. Em 1718 o arraial foi elevado à vila, com o nome de São José, passando em 1860, à categoria de cidade. Durante todo o século XVIII, a Vila de São José viveu da exploração de ouro e foi um dos importantes centros produtores de Minas Gerais. No fim do século XIX os republicanos redescobrem a esquecida terra de Joaquim José da Silva Xavier, o "Tiradentes" e, com a proclamação da república, recebe o atual nome de "Tiradentes". Cercada de atrações naturais como cachoeiras, grutas, serra em área de preservação ambiental, entre outras, a cidade mineira de Tiradentes se destaca também pela beleza arquitetônica preservada em seus casarões históricos e suas igrejas centenárias.

Artes e Culinária

Em Tiradentes pode-se encontrar artesanato em madeira, pedra sabão, latão, folha de flandres, tecelagem prata de boa qualidade e originário de toda região.

Os doces mineiros também podem ser degustados em diversas casas como: canudo de doce de leite, doce de leite, ambrosia, biscoito de amendoim, pé de moleque, entre outros.

A culinária local presa os pratos mineiros como o feijão tropeiro, tutu mineiro, frango a molho pardo, frango com "ora pro nobis" (erva trepadeira com grande teor nutritivo).

BICHINHO

O distrito de Vitoriano Veloso (Bichinho) pertence à cidade de Prados desde 1938, e é conhecido também pelo sugestivo nome de “Bichinho”, um povoado que se formou com a descoberta de ricas lavras de ouro nos princípios do século XVIII. O nome atual é uma homenagem ao inconfidente Vitoriano Gonçalves Veloso, negro, escravo alforriado e alfaiate que nasceu e viveu na região. Ele era vizinho e compadre de D. Hipólita, a única mulher a participar ativamente no movimento revolucionário (Inconfidência).

Hoje, o povoado é uma sequencia de casas antigas que servem tanto como residências quanto como oficinas, ateliês, lojas de artesanatos.

Sem falar na produção artesanal de doces, tradição que é passada de geração em geração.

Bichinho se orgulha de ser uma das grandes concentrações de artesãos do Circuito Trilha dos Inconfidentes. A criatividade e simplicidade desses artesãos chamam a atenção dos visitantes. As peças e pinturas nascem do aproveitamento de material de demolição, madeira, ferro, lata, plásticos e tecidos de algodão. A qualidade das peças é que garantem as exportações para vários estados do país e até para o exterior.

 

Veja mais informações sobre Bichinho no site: www.bichinho.net

Mais Lidas